Quem sou eu

Minha foto
Vitória de Santo Antão, Pernambuco, Brazil
Sou metalúrgico aposentado,chaveiro autônomo, gosto de ler e escrever poesias. Visualizar meu perfil completo

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Sobre o inferno.


Qualquer pessoa sabe disso
Se os médicos não quiserem, nenhum hospital funciona.
Se o motorista não quiser, o carro não funciona.
Se os políticos não quiserem, nenhum sistema político funciona.
Se os líderes religiosos não quiserem, nenhuma religião funciona.
O ser humano é sempre o responsável pelo bom funcionamento, ou não,
Pelo sucesso ou o fracasso, de qualquer instituição, ou qualquer sistema:
Político, religioso, de segurança, de saúde, de educação ou de qualquer outra coisa.
O computador que serve para ensinar serve para jogar, viciar...
A mesma internet que serve para informar, serve para espionar...
Muitos médicos capitalistas são também partidários da eutanásia, principalmente,
Para quem não pode pagar consultas médicas.
   Já existe quem seja partidário do controle biológico da população, tornando pobres, estéril. Para esses, quem não pode criar e educar filhos, não deve ter filhos. Uma seleção natural forçada. Dante Alighieri, já previa isso, bem antes de o Brasil ser colonizado, Basta ler (sobre o inferno de Dante).

   Na verdade; o bem e o mal, o céu e o inferno, o Deus ou diabo estará, onde o homem estiver. Isso porque, onde tem gente tem problemas, quanto mais gente mais problemas. Como cada homem pensa diferente um do outro, Os grandes problemas da humanidade não se resolvem, e as divergências se perpetuam.

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Você pergunta quem eu sou?


SABE QUE EU NÃO SEI!

Só sei que eu não ando atrás
Nem de mais fama nem de mais dinheiro.
Sei que não sou nem o mais justo
Nem o mais verdadeiro.
Não sou religioso nem politiqueiro.
Não sou ativista, conformista nem baderneiro.
Não sou brega, chique, nem estilista fofoqueiro.
Não sou romancista, dramaturgo nem noveleiro.
Não sou profeta, vidente nem catimbozeiro.
Não sou sambista, repentista nem roqueiro.
Só sei que nunca fui populista nem cambalacheiro.
Eu quero ser - apenas eu
Não ando a procura de rótulos

De analistas, psicólogos nem marqueteiros.

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Compartilhado do blog redescobrindo...


domingo, 29 de setembro de 2013

Casa-grande de Engenhos em Moreno

Por James Davidson


O termo casa-grande, como é conhecido hoje, refere-se à moradia do senhor de engenho. Junto com a capela, senzala e fábrica, constituía um dos edifícios base da estrutura de um engenho de cana-de-açúcar. Mas nem sempre as casas de engenho eram chamadas assim. Ao se consultar documentos antigos percebe-se que eram mais comuns os termos "casa de vivenda", "casa de morada", "sobrado", entre outros. Parece que o termo casa-grande só foi consagrado mesmo após a publicação do livro clássico "Casa-grande e Senzala" de Gilberto Freyre, tornando-se a expressão conhecida e popularizada. Além disso, o termo casa-grande não era de uso estrito da zona canavieira, pois aparece também no agreste e no sertão, para denominar também a principal residência de uma fazenda.

Como demonstra Geraldo Gomes, autor de Engenho e Arquitetura, o mais profundo estudo sobre o tema em Pernambuco até hoje feito, nem sempre as casas-grandes eram grandes casas. Além de existirem grandes casas senhoriais, também existiam as modestas e simples casas-grandes, mostrando que nem todos os donos de engenhos eram ricos e poderosos como o senso comum nos faz crer. É importante destacar a grande variedade de tipos existentes e que nem sempre as casa que chegaram até hoje são as originais.


No caso do município do Moreno, muitos dos seus 44 engenhos ainda conservam sua casa-grande. Entre os engenhos que não as possuem mais podem ser citados os engenhos Canzanza, Mato-grosso, Timbó, Serraria, Pacoval, Bom Dia, Quiaombo, Brejo, ente outros. Alguns conservam um edificação bastante descaracterizada com modificações significativas como as casas dos engenhos Catende e Caraúna, e outras são relativamente recentes como as dos engenhos Gurjaú de Baixo e Buscaú. Outras, porém, constituem belíssimos exemplares da Arquitetura de Engenho como as casas dos engenhos Morenos, Pintos e Novo da Conceição. Vejamos algumas delas:

Casa-grande do Engenho Catende

Casa-grande do Engenho Carnijó

Casa-grande do Engenho Gurjaú de Cima

Casa-grande de Gurjaú de Baixo

Casa-grande do Engenho Buscaú

Casa-grande do Engenho Floresta

Casa-grande do Engenho Queimadas

Casa-grande do Engenho Pintos

Casa-grande do Engenho Pereiras

Casa-grande do Engenho Jaboatão
Casa-grande do Engenho Javunda

Casa-grande do Engenho Jussara

Casa-grande do Engenho Pocinho

Casa-grande do Engenho Una
Casa-grande do Engenho Morenos

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

O TÍTULO É ( ?...)



Os noivos prometem o lar dos sonhos para suas felizardas,
E quando casam?...
As noivas prometem serem as esposas almejadas,
E depois que casam?...
Empregadores prometem  o emprego ideal aos seus contratados,
E quando os empregam?...
Publicitários prometem o produto sensacional,
E quando o produto é comprado?...
Políticos prometem resolver todos os problemas da nação,
E quando são eleitos?...
Líderes religiosos prometem o reino dos céus,
E quando morremos?...
HOMENS, MULHERES, PLANOS DE SAÚDE, PARTIDO POLÍTICO, COMERCIANTES,
INDUSTRIAIS, COMERCIANTES, ASSOCIAÇÃO, RELIGIÃO...
TODOS PROMETEM O MELHOR, ATÉ  A MÍDIA, PRINCIPALMENTE ATRAVÉS DA TELEVISÃO.
PROMESSAS EXISTEM DE MONTÃO.
 PROMETER É FÁCIL,
 E A EXECUÇÃO?...

terça-feira, 15 de outubro de 2013

NOS AJEITAMOS SEMPRE.





NOS AJEITAMOS SEMPRE

Nos ajeitamos sempre
Mesmo que a bola não entre na caçapa.
Mesmo que chova na saída,
Mesmo que tenhamos perdido
As chaves na chegada.

Nos ajeitamos sempre
Se confiarmos que o sol está lá
Ainda que o dia permaneça nublado.

Nos ajeitamos sempre.
Mesmo que o astral esteja baixo.
Mesmo que o coração vacile,
E os sentimentos estejam meio desbotados.

Nos ajeitamos sim
É só confiar,
Mas confiar mesmo
Que enquanto existir vida

Existe chance de atravessar o rio a nado.

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

compartilhado do blog "O Portal de Notícia vitoriense" de Antonio Maximino

PE terá cerca de 3.000 PMs para fazer segurança do Enem


A segurança na escolta das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e nos prédios onde haverá avaliação, nos dias 26 e 27 de outubro, será reforçada este ano no Estado. Serão mobilizados cerca de 3 mil policiais militares. Ano passado foram 2.500. Um dos motivos é a maior quantidade de candidatos e de locais de realização dos testes em relação ao exame anterior. Outra justificativa para o incremento é a preocupação da Polícia Militar de Pernambuco (PMPE) com protestos e manifestações.
"Houve acréscimo de 20% no total de inscritos, comparado com 2012. Agora são 340.846. Ano passado foram 283.708 candidatos. Isso provocou um aumento do número de locais de provas. Passou de 528 prédios em 2012 para 654 este ano. Portanto, tivemos que mobilizar mais policiais para trabalhar durante o Enem", explica o assessor de Comunicação Social da PMPE, tenente-coronel Clênio Magalhães.
Haverá exame em 73 municípios pernambucanos e no Arquipélago de Fernando Noronha. As provas são guardadas em quartéis do Exército. Por segurança, detalhes repassados até o ano passado, como as cidades onde estão localizadas as unidades militares não foram informados este ano.

domingo, 13 de outubro de 2013

HOMENAGEM A TODAS CRIANÇAS DO MUNDO E PRINCIPALMENTE ARTHUR E LETÍCIA.



CRIANÇA



No avião de papel,
No balãozinho multicor,
Nos gritinhos e brincadeiras,
Eu expresso e dou amor.


Eu gosto de plantar flores,
Eu quero entender a vida,
Eu quero receber e dar carinho,
Ser amada e ser entendida.


Em mim você não recorda
De um tempo que já foi seu,
De travessuras, alegrias e fantasias,
Hoje você é adulto e já cresceu.


Hoje sou eu o futuro,
Hoje sou eu esperança,
Sou tudo que você já foi,
Hoje eu sou uma criança.

                                             Egídio Timóteo Correia

Já passei dos 70


POEMA MADURO

Eis que chega
A idade da razão.
Essa em que
Já não se tem
Tanta ilusão.
 Torna-se mais real
O que a gente sente.
O semblante mais maduro
Sabe mais
Sobre o futuro
E se é menos inocente.
Já não se teme tanto
A perda dos anéis.
Os sentidos
Mais argutos
Palmilhou muitas estradas
Muitas páginas
Já viradas
Dizem que os sonhos
Devem ser melhor, medidos
Para não ser confundidos
Com simples fantasias.
Agora
O caminhar fica mais lento,
A memória esquece mais,
Outros valores se criam.
Já é tempo
De rever todo o passado
 O presente
É colheita dos acertos
E dos errados.
A Terra tem que ser
Melhor carpida
Para os frutos nela plantados.
 Anda-se menos em contramão.
Só uma coisa continua igual;
É quando se trata de sentimentos
E assunto do coração

Egídio T. Correia

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Blog egidiopoeta agradece.




Percebi sua visita
E como é bom lhe receber.
Por isso fico contente
Quando você quer me ver.
Volte sempre que quiser
Que eu sou grato a você.

Faça críticas e comentários,
Dê a sua opinião
Você também pode dá
Qualquer uma sugestão.
Mande notícias e poemas
Ou até reclamação.

Você pode partilhar
O que achar interessante.
Se sinta bem a vontade
Como um nobre visitante.
Saiba que estou lhe esperando
Mais ainda do que antes.

www.egidiopoeta.blogspot.com

Beijos e muito obrigado.

segunda-feira, 7 de outubro de 2013


ESTOU TE ESPERANDO!

Sou o blog de Egídio,
Venha cá, venha me ver.
Tenho algumas novidades
Quero contar –  a você.

Estou começando agora
Ainda estou me ajeitando
Mas em mim você pode ver
Um “Poetinha” pensando.

No meu corpo está tatuado
Pensamentos, quadrinhas e poesias 
Pode ter uma mensagem
Para os aniversariantes do dia.

Venha me leia e comente,
Dê a sua opinião.
E desde já – muito obrigado.
Receba um abraço afetado
Por coisas do coração.

Egídio Timóteo Correia

WWW.egidiopoeta.blogspot.com

Peripécias do futebol

PERIPÉCIAS DO FUTEBOL.
Futebol é como um velho malandro, um menino rebelde ou um jovem debochado. Com ele, não se acerta hora exata, seus ponteiros são sinuosos e seu tempo desaplumado.
Dos três grandes do futebol pernambucano, fundou-se primeiro o Náutico em 1901. De início envolvido com esporte aquático, Só em 1909 é que aderiu ao futebol.
O Sport já nasceu voltado para o futebol em 1905. O campeonato pernambucano começou em 1915, mas o Sport iniciou nele em 1916 e já conquistou o seu primeiro bicampeonato, 1916 e 1917. O primeiro campeão pernambucano foi o Flamengo de Recife, em 1915. Primeiro campeão não existe mais. 
O Santa Cruz nasceu, em 1914, e já fez parte do primeiro campeonato em 1915, mas só conquistou o seu primeiro campeonato em 1931.
O América, foi o segundo bicampeão 1921 e 1922.
CAMPEÕES:
1915 – campeão Flamengo de Recife.( PRIMEIRO CAMPEÃO)- Santa (vice-campeão)
1916 - SPORT  - (Vice-campeão Santa Cruz)
 1917 – Sport – (bicampeão) (vice-campeão Santa Cruz)
1918  América (vice-campeão Santa Cruz)
 1919 – América - (bicampeão) (vice- campeão Sport)
 1920 - o campeão foi o Sport. Vice-campeão Santa Cruz.
1921 - América (vice-campeão Santa cruz)
1922 -  América - (bicampeão.) (vice Sport)
1923, 1924 e 1925 – Sport- ( tricampeão) (vice América)
1926 - campeão o Torre (não existe mais) (vice Náutico)
1927 – campeão o América (vice Torre)
1928 – campeão o Sport ( vice torre)
1929 - Torre (vice Santa)
 1930 – Torre – (bicampeão) (vice América)
1931 - Santa cruz (vice Náutico)
1932 – Santa Cruz ( Vice Íris)
1933 –  Santa Cruz – (tricampeão) (viceTramwayas)                
1934 – Náutico – ganhou seu primeiro campeonato (vice Santa Cruz)
1935 – campeão o Santa Cruz (vice Tramwayas)
1036 – campeão.
 1937 – Tramwyas - (bicampeão invicto) (vice Santa)
1038 -  Sport campeão (vice santa Cruz)
1939 – campeão o Náutico (vice Santa Cruz)
1940 - Campeão o Santa cruz (vice Sport)
1041 – Sport invicto –  (vice América)
1942 – Sport ( vice Náutico)
1943 – Sport - (tricampeão) (vice Santa)
1944 -  América campeão (vice Náutico)
1945 – Náutico – campeão (vice América)
1946 – Santa Cruz – campeão (vice Náutico)
1947 – Santa Cruz - (bicampeão) (vice América)
 1948 – Sport – campeão (vice América)
1949 -  Sport – (bicampeão) (vice Santa Cruz)
1950 – Náutico (vice América) (América).
1951 – Náutico (bicampeão)
1952 – Náutico (tricampeão invicto)
1953 -  Sport
1954 – Náutico
1955 – Sport
1956 – Sport (bicampeão)
1957 – Santa Cruz
1958 – Sport
1959 – Santa Cruz
1960 – Náutico
1961 – Sport
1962 – Sport (bicampeão)
1963 -  Náutico
1964 – Náutico bicampeão
1965 – Náutico tricampeão
1966 – Náutico (tetra campeão)
1957 – Náutico (Penta Campeão)
1968 – Náutico (hexa campeão)
1969 – Santa Cruz campeão
1970 – Santa Cruz (bicampeão)
1971 – Santa Cruz (tricampeão)
1972 – Santa Cruz (tetra campeão)
1973 – Santa Cruz (Penta campeão)
1974 –Náutico
1975 – Sport
1976 – Santa Cruz
1977 – Sport
1978 – Santa Cruz
1979 – Santa Cruz (bicampeão)
1980 – Sport
1981 – Sport (bicampeão)
1982 – Sport (tricampeão)
1983 – Santa Cruz campeão.
1984 – Náutico
1985 – Náutico (bicampeão)
1986 – Santa Cruz
1987 – Santa Cruz (bicampeão)
1988 – Sport
1990 – Santa Cruz
1991 -  Sport
1992 – Sport (bicampeão)
1993 – Santa cruz
1994 – Sport
1995 – santa Cruz
1996 – Sport campeão (invicto)
1997 –Sport (bicampeão)
1998 – Sport (tricampeão)
1999 –Sport (tetracampeão)
2000 – Sport (pentacampeão)
2001 - Náutico
2002 – Náutico (bicampeão)
2003 – Sport - campeão
2004 – Náutico -campeão
2005 – Santa Cruz - campeão
2006 – Sport - campeão
2007-Sport (bicampeão)
2008 – Sport (tricampeão) invicto.
2009 –sport (tetracampeão)
2010 – Sport (pentacampeão)
2011-  Santa Cruz - campeão
2012 – santa cruz ( bicampeão)
2013 - Santa Cruz (tricampeão)

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Glória já passei dos setenta.





Cordel sem contraditório/1

Se vejo uma flor se abrindo
O meu coração desabrocha.
Se vejo as vozes da roça
 Sons de pássaros discutindo
Quando veem o sol surgindo
Pra enfeitar ás campinas.
Minha alma se alucina
E se faz poetiza na hora.

As rimas são minha escora
Colorindo meu dia a dia
Me apoio na poesia
Pra enfrentar o batente
Se estou triste fico contente
Vejo a vida com mais beleza
É que sons da natureza
Me faz poeta na hora.

Quem conhece a minha história
Sabe o que estou falando.
Não vivo rindo ou chorando
Não sou um cara engraçado.
Também não vivo amuado
Nem reclamando da vida.
Pra curar minhas feridas
Me faço poeta na hora.

O meu momento é agora
O que passou é passado.
Se o dia fica nublando
E o coração se aperta
Me lembro que sou poeta
A dor se transforma em versos
Pra gerir meu universo
Fico poeta na hora.

Nasci onde mora o poema
Me fascina a luz da lua.
A chuva que molha a rua,
E as nuvens que pinta o céu,
Faz de mim um menestrel
Das belezas naturais.
Esses sabores que a vida traz
Dizem - que sou poeta da hora.

Mas, poeta também chora,
Se perde um ente querido.
Ou se não é correspondido
No amor mais desejado.
Se o sentimento é frustrado
E a lágrima inundar o peito
Poetizá-la é o jeito

Pra se fazer nessa hora.